Corro só para declarar meu amor pela comida no fim do dia

Dando um pouco de contexto às pessoas que não moram em São Paulo: a Casa Mathilde é uma doçaria tradicional portuguesa. A primeira filial brasileira abriu suas portas na Praça Antônio Prado, ou seja, bem perto do meu local de trabalho. Carrego minha carteirinha de gorda tensa por todos os cantos – às vezes esqueço o Bilhete Único, mas meu atestado de desespero por carboidrato, em hipótese alguma, é esquecido. Tanto que não tive tempo de adiar minha visita. Quando coloco os pés na porta, creio que metade do meu cérebro fica inativa porque perco o discernimento em segundos. Fico parecendo uma criança de cinco anos diante de uma vitrine cheia de Bubbaloo (isso em um contexto 1996, lógico).

Admiro a peculiaridade na escolha dos nomes, criar uma receita é quase como colocar um filho no mundo. Você quer mimar, enfeitar, dar um nome bonito, essas coisas.

E jogar canela. Porque canela está em uma escala evolutiva bem mais avançada que o açúcar e percebam, é só jogar um pouquinho desse pó mágico que qualquer gororoba vira o paraíso.

Nessas eles criaram um tal “Bolinho de Canela e Amor”. Parecia enganação, como quase tudo na vida: tinha cara de biscoito, jamais chamaria aquilo de bolinho.

Confesso a vocês, com o coração carregado, que pela primeira vez na vida, depois de ultrapassar duas décadas nesse planeta maluco, o amor me foi receptivo. Doce, sem ser enjoativo. Cheio de canela. Forte o suficiente para me ajudar a ignorar a pieguice desmedida de seu nome. E ainda me convidou a devorá-lo sem piedade.

Anúncios

Especial Paris, parte 3 – Comidas

Impossível falar de Paris sem falar das maravilhas gastronômicas da França. Aliás, acredito ter escolhido a palavra errada para iniciar a parte mais saborosa deste especial. Um fato é inegável – quem se interessa pela alta gastronomia irá, certamente, deleitar-se. Os pequenos pratos bem elaborados enganam os olhos. São saborosos e satisfazem sim!

Porém, vejam bem. São caros. E existem opções mais saudáveis entre os pratos mais em conta. No Brasil, quase não como salada. Deveria, eu sei. Mas não sou muito fã. Na França, para minha surpresa, eu almoçava e jantava saladas e achava uma delícia. O preparo e os temperos são bem selecionados. Confiem na minha palavra. São muito saborosas. E o melhor, são bem mais saudáveis.

E antes que alguém se anime com a ideia de se acabar comendo salada e emagrecer na França, trago más notícias. Os doces franceses não se contentam em ser bonitos – não basta comê-los com os olhos. São muito, muito gostosos. E sabe o pior? Não dá pra resisitir. Tortas, bolinhos, torrones, chocolates e eles, os famosos macarons.

Pratos salgados

Começo pelo tipo de comida que costumamos consumir antes da refeição principal no Brasil – a salada. Nos restaurantes, algumas saladas são servidas com acompanhamentos – peixe ou frango, normalmente. Recomendo as opções mais simples. Os temperos são bem selecionados, é difícil decepcionar-se.

Experimentei alguns pratos com ingredientes simples. O clássico exemplo de coisas que podemos fazer em casa sem muito esforço, mas sempre adiamos por preguiça.  É o caso da salade de Roquefort aux noix, do Restaurante La Bonne Franquette. Altamente recomendada! Para mim, são refeições bem servidas, e não há necessidade de pedir mais alguma coisa para completar. Ainda sobra uma brecha para as deliciosas sobremesas.

Uma surpresa foram as saladas prontas vendidas nos mercados-mercearia, bem comuns na França. O mais próximo do meu hotel, Monop‘ (náo confundam com a Monoprix!), oferecia opções bem variadas. A salada vem em um potinho, e há algumas mesas no local. Na pressa, você pode comer  ali mesmo. Dá para jantar, em especial nos dias mais cansativos – satisfaz, e você dorme sem preocupações com os exageros da última refeição do dia.

Uma das maravilhas da França são aqueles salgados gordurosos que os nutricionistas detestam – as viennoiseries. São salgados típicos de padaria, e muitos são feitos de massa folhada – como os deliciosos croissants. Os mais famosos, na França, não são recheados – só tem manteiga. E ainda assim são mais sequinhos que os brasileiros. Uma delícia, perfeitos para o café da manhã. O pain au chocolat também é gostoso, mas ainda prefiro o croissant.

Para o almoço, além das saladas, recomendo as pizzas. Não é um prato típico da França, mas achei o formato e o sabor bem diferentes do que já havia experimentado. E peçam preparados para comer bastante – o prato individual compreende uma pizza enorme, que ocupa o prato – grande – inteiro.

Outro prato francês bastante conhecido serve tanto de lanche como almoço. O Croque Monsieur é servido, recorrentemente, com salada. E merece toda a fama que possui.

Croque Monsieur

Doces

Não sei por onde começar. Até mesmo uma tortinha cheia de chocolate consegue agradar os paladares mais exigentes na França. Quem não gosta de doces pode passar reto ao se deparar com locais clássicos como a Ladurée  e a Angelina. Como uma amiga disse, são dois lugares essenciais para experimentar os doces franceses. Peçam qualquer coisa,   sem medo.

Não é mito, muito menos exagero dos visitantes – os macarons da Ladurée são muito saborosos. Comparações são inevitáveis – eles são, realmente, os melhores! Mas não é difícil encontrá-los pela cidade, em especial nas padarias. Claro, existem outras lojas que oferecem várias opções de macarons. Gostei muito dos da Pierre Hermé. Os sabores são diferentes, vale a pena experimentar.

Não irei me estender muito no tópico dos doces porque nem é necessário dar muitas dicas. Pois eles pedem uma apreciação prévia com os olhos – e acreditem, como dito acima, é bem difícil se decepcionar. Uma vantagem de Paris é poder se deleitar mesmo com quitutes mais em conta. Nas padarias é fácil encontrá-los, por preços mais baixos e igualmente saborosos.

Para finalizar, a minha dica é uma padaria bastante tradicional: Paul. São inúmeras unidades espalhadas pela cidade e o “cardápio” é vasto – tanto para salgados quanto doces.

E amanhã, a parte mais extensa e difícil de ser preparada – dicas de passeios turísticos e outros locais interessantes de Paris!

O Substituto Perfeito

Com o tempo, vocês vão perceber o quanto gosto de comida. Salgados, doces… não faço muita distinção. Gosto de tudo mesmo. Em um destes momentos mulherzinha – de tpm, que fique claro – acabei perdendo bons minutos em um tumblr “recheado” com fotografias de comidas. O título não poderia ser melhor – Boyfriend Replacement. A cada dia, um tema é escolhido. Pode variar, desde a culinária típica de alguns países, a algum tipo específico de alimento. O último foi dedicado à comidas coloridas. Em setembro, o Brasil teve seu dia, para ninguém colocar defeito:

 

 

 

 

Um dos cafés mais conhecidos do mundo não poderia ficar de fora. Recentemente, o Starbucks foi o ‘homenageado’ do dia:

 

 

 

 

 

Os visitantes podem enviar suas fotos também. Basta mandar uma mensagem diretamente no tumblr. Vale a visita. Só não recomendo às pessoas que não conseguem resistir ao ver as comidas na tela do computador!