A Sombra do Vento, de Carlos Ruiz Zafón

“(…) poucas coisas marcam tanto um leitor como o primeiro livro que realmente abre caminho ao seu coração. As primeiras imagens, o eco dessas palavras que pensamos ter deixado para trás, nos acompanham por toda a vida e esculpem um palácio em nossa memória ao qual mais cedo ou mais tarde (…) iremos retornar.”

 Por Thais Sawada*

Altas estantes, que se estendem até o teto e percorrem o interior da sala, formando caminhos inimagináveis. Corredores, escadas, plataformas. Mais do que uma biblioteca, um verdadeiro labirinto que, com sua atmosfera misteriosa, guarda os mais variados livros. Estes poderiam ter caído no esquecimento, mas permanecem protegidos pelas paredes do Cemitério dos Livros Esquecidos, enquanto esperam por alguém que os descubra novamente.

Esse é o cenário que dá início ao quinto romance do escritor espanhol Carlos Ruiz Zafón, A Sombra do Vento. O livro, juntamente com O Jogo do Anjo e O Prisioneiro do Céu, faz parte de um ciclo de romances que se cruzam, tendo como principal ponto de encontro o misterioso local.

A Sombra do Vento tem como protagonista o menino Daniel Sempere e é ambientado na Barcelona de 1945, após o fim da Guerra Civil Espanhola. Uma noite, Daniel é levado pelo seu pai a um lugar que marcará sua vida dali para frente: o Cemitério dos Livros Esquecidos. Lá, ele descobre a obra de um escritor desaparecido chamado Julián Carax.

O garoto fica tão fascinado pelo enigma que cerca Carax, que decide desvendá-lo. Vai, portanto, atrás de pistas que possam mostrar-lhe a verdade sobre o paradeiro do escritor. Com a ajuda de seus amigos e conhecidos, com destaque para o excêntrico Fermín Romero de Torres, descobre que alguém vem queimando todos os livros de Carax, por um motivo desconhecido, e que o seu exemplar pode ser o último existente.

Com uma narrativa intrigante e uma trama dinâmica e envolvente, capazes de prender a atenção do começo ao fim, Zafón conduz o leitor a um mundo de segredos, ameaças, histórias enterradas e pessoas enigmáticas; ao mesmo tempo em que leva Daniel a um universo até então desconhecido por ele.

À medida que o personagem cresce e descobre tanto o amor quanto a obscuridade que rodeia os seres humanos, duas vidas passam a se entrelaçar. De um lado, o menino que apenas ouviu falar da guerra e que mergulhou na narrativa de um autor desaparecido. De outro, um escritor que viveu plenamente todo o medo proporcionado pela ditadura franquista e que criou e protagonizou histórias ameaçadas de serem esquecidas para sempre.

A Sombra do Vento é um livro de mistério, de suspense e de romance. É um livro que mostra o quanto a literatura pode influenciar na vida de uma pessoa – e vice-versa. Que faz lembrar que por trás de cada história inventada e imaginada existe um escritor com uma vida real.

Ao levar Daniel pela primeira vez ao Cemitério dos Livros Esquecidos, seu pai lhe diz: “Cada livro, cada volume que você vê, tem alma. A alma de quem o escreveu, e a alma dos que o leram, que viveram e sonharam com ele”. Assim, A Sombra do Vento é uma homenagem àquelas páginas que se tornaram inesquecíveis para alguém e àquele autor que colocou sua alma nelas.

ZAFÓN, Carlos Ruiz. A Sombra do Vento. Editora Suma de Letras, 2007. Tradução: Marcia Ribas. 400 págs. Preço sugerido: R$46,90.

*Na última quarta-feira de cada mês a Thais comenta suas impressões sobre algum título literário por aqui :) Acompanhem!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s