Sobre marcadores de página

Tenho memória fraca para números. Parece-me impossível lembrar com exatidão. Se não anotar, nem adianta criar expectativas. Sempre vou me lembrar de um número aproximado. Só eu sei o quão difícil foi decorar o número do celular. E o de casa? Até hoje não consegui. Apesar de que ainda possuo alguns créditos com este, que chegou por aqui há um ano.

Agora imaginem fechar um livro e me lembrar da página ao abri-lo novamente. Praticamente impossível. Com algumas obras era possível lembrar pelo capítulo – embora muitas vezes eu me lembrasse mais do título, e não do número. As complicações apareciam quando me deparava com capítulos muito extensos, ou mesmo quando pegava algum livro gigante para estudar, mas só precisava de algumas páginas.

E foi em meio à tamanha dificuldade para lidar com os instrumentos essenciais à matemática que passei a fazer meus próprios marcadores de páginas. Imprimia um mundo de imagens, colava na cartolina, recortava e plastificava. Isso acontecia há 12 anos ou mais, na verdade, mas ainda tenho alguns guardados.

Felizmente, a maioria das livrarias sempre disfarçou piedade pelos desalentados sem marcadores de páginas. Nada mais justo que brincar de altruísmo enchendo um pequeno pedaço de papel com propagandas.

Não que eu me importasse.

Até que amigos começaram a trazer marcadores graciosos como lembrancinha das viagens que faziam. Acostumaram-me tão mal que hoje tenho a maior cara de pau de pedir um marcador para toda pessoa que comete a burrada de falar sobre uma futura viagem perto de mim.

Feiras do livro e bienais da vida também são propícias – os stands distribuem um mundo de marcadores a quem passar e eu, claro, faço a festa.

O vício foi remediado com o passar do tempo. Até porque já adotei meus marcadores prediletos. São da Livraria Cultura. Práticos, não escorregam na página, muito menos a rasgam. Um sucesso.

Uma parte da minha "coleção"; um dos marcadores magnéticos da Cultura no Dom Quixote

De tempos em tempos, costumo procurar marcadores diferentes na internet. E quando você acha que a criatividade dos designers já se esgotou, eles te surpreendem mais uma vez. Existe uma infinidade de marcadores, um mais criativo que o outro. Alguns são acessíveis, mas para outros, haja grana…

De qualquer forma, resolvi compartilhar modelos interessantes que encontrei por aí:

Simples, porém simpático

Outro básico. Dá para baixar no site, basta clicar sobre a foto :)

Gosto da ideia, mas achei o preço um tanto absurdo ($29)

Mais um da DesignBoom.

Ótima apropriação do livro de cabeceira. Criativo e perfeito para quem gosta de ler e tem medo de escuro

O mais prático. Serve como uma pequena estante, e ainda dá para apoiar a leitura do momento

Anúncios

Um comentário sobre “Sobre marcadores de página

  1. Fechar o livro e esquecer onde parou é realmente angustiante. Eu nunca fui muito ligado em marcadores. Geralmente uso o que me tem na mão: papel de bala, folha de arvore, panfleto de igreja… Mas esses aí nas imagens são muito legais mesmo! :D

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s