Especial Paris, parte 5 – Compras

Bouquinistes de Paris

Caminhar pelas ruas de Paris é um perigo. Ao passar na frente de lojas famosas, é necessário autocontrole na maior intensidade possível.  Infelizmente, não podemos ao menos nos animar antes de colocar os pés em alguma loja – os preços não são muito simpáticos. Mas sempre há uma coisa ou outra que sai mais em conta se você comprar na capital da França.

Minha dica é, mais uma vez, fazer uma pesquisa prévia e ver quais são as suas prioridades na hora de fazer compras – roupas, cosméticos, eletrônicos, entre outros. A partir daí, é possível administrar com maior facilidade os gastos. Se você está com pouco dinheiro, reforço ainda mais a recomendação. Melhor garantir algo que você quer muito, certo?

Boulevard Saint-Michel

Sou dessas que tira foto do nome da rua...

 

Para a última parte do Especial, resolvi fazer diferente e começar pela “cereja do bolo”. Mais uma vez, deparei-me com um lugar interessante e próximo a vários pontos bacanas de Paris. É o caso do Jardin du Luxembourg (comentei sobre ele ontem). Uma das saídas da estação Saint-Michel do metrô fica ao lado de uma das entradas do Jardim. E ao atravessar o Boulevard e andar mais um pouco, você chega a Shakespeare and Company e à Catedral de Notre Dame.

O Boulevard Saint-Michel fica no Quartier Latin. Sem dúvidas, um dos meus pedaços favoritos da cidade. E ainda é perfeito para compras. A Sorbonne fica ali. E vocês sabem o que isso significa? Há muitas livrarias – baratas – ao longo do Boulevard. Há uma Fnac perdida ali no meio – mas os preços não são muito atraentes.

Sorbonne

Na livraria Gilbert Joseph, a história é outra. Ela é ótima para comprar não apenas livros – novos e usados – mas também CDs e DVDs. Mas quem gosta muito de cadernos e itens de papelaria em geral, deve andar mais um pouquinho até a Gilbert Jeune. As duas lojas são imensas, e quem gosta de literatura e música precisa reservar boas horas para desvendar o acervo. Compensa muito!

A Shakespeare and Company é um local de visita obrigatória para quem ama literatura. Os preços não são nem um pouco simpáticos, e é tentador entrar na loja e sair sem nada em mãos. Para vocês terem uma ideia, a loja possui até mesmo uma estante só com livros da Geração Beat. Dá vontade de comprar tudo! Os eventos da livraria são bem famosos. Confiram a programação, disponível no site, antes de visitá-la.

Chegando a Shakespeare and Company, versão Polaroid

O Boulevard também é ótimo para comprar roupas. A loja que mais gostei foi a Pimkie. As promoções de lá eram ótimas – consegui algumas blusas muito boas por €8. E fica próxima a uma unidade da MAC, que faço questão de recomendar porque fui muito bem atendida.

E antes que eu me esqueça, no caminho para a Notre Dame, ao longo do Sena, confiram os Bouquinistes de Paris. Como é possível notar na foto ao início do post, eles vendem livros usados e réplicas de pinturas. Alguns vendem outros souvenirs também. Há muito tempo passou a ser uma atração turística da cidade.

Lojas dos Museus

Todo museu possui uma lojinha. Sim, são caras. Mas sempre dá para comprar uma lembrancinha ou outra – um postal ou um marcador de páginas, por exemplo, com uma tela famosa estampada. Recomendo os Guias de Visita. Além de servir como orientação para conhecer o museu, é uma boa recordação pós-visita. E como não me canso de elogiar o Pompidou, reforço mais uma vez a visita. A loja deles é diferente. Há um espaço especial cheio de livros de arte e uma variedade imensa de cadernos e outros itens de papelaria.

Pylones

Vitrine da loja

Quando entrei no site pela primeira vez, achei tudo meio estranho. Parecia espalhafatoso e exagerado demais. Ainda assim, chamou minha atenção e não consegui me controlar até sanar a curiosidade de conhecer uma das unidades da loja. É incrível! Impossível não se impressionar com a criatividade dos designers que transformam coisas simples do cotidiano em obras de arte. Um local muito interessante para compras lembrancinhas diferentes dos clássicos – e muitas vezes repetitivos – souvenirs.

Há uma unidade do Carrousel du Louvre, um shopping-anexo do Louvre e outra perto da estação Abbesses, em Montmartre.

Souvenirs

Claro, não dá pra comprar todas as lembranças da Pylones. Embora seja possível encontrar itens baratinhos, a loja também tem coisas bem caras. E convenhamos, não dá pra ir a Paris e não comprar ao menos um chaveiro da Torre Eiffel. O problema é que muitas lojas abusam da boa vontade do turista e chegam a cobrar €10 em um único chaveiro.

Para comprar itens mais em conta, vale a pena sair de loja em loja na Rue Rivoli e em Montmartre. Procurem lojas mais afastadas dos pontos turísticos, como o Louvre (no caso da Rivoli) e da Sacre Coeur em Montmartre. Quanto mais afastadas, mais caem os preços.

Perfumes e Maquiagens

Para maquiagens, é de praxe fazer aquela visita prolongada na Sephora da Champs-Élysées. Parece um shopping de tão grande! Os preços são os mesmos da Galeries Lafayette, mas às vezes rolam promoções nos dois lugares. É bom fazer uma comparação antes de comprar. Aliás, se forem visitar a Galeries Lafayette, não deixem de visitar a Ópera Garnier. A entrada é gratuita e o lugar é muito bonito.

Para adquirir produtos de marcas como Roche Posay e Vichy, é possível aproveitar o passeio Lafayette-Ópera para entrar na para-farmácia Parashop, na rue Chausée d’Antin. Fica ao lado de uma das unidades da Etam e os preços são ótimos.

Para comprar perfumes baratos de verdade, esqueçam da Sephora. A dica é passar na Le Parfum de l’Opera, na 3 rue Helder 75009 – sim, também fica pertinho da Ópera Garnier. O atendimento é ótimo e eficiente, e se você tiver dificuldades, pode tirar suas dúvidas em português. Os descontos são absurdos, compensa bastante.

Quase cega no Jardin des Tuileries

E é com a carteira palpitante – e muitos caracteres depois – que encerro o Especial Paris. Apesar da simplicidade e de alguns exageros, espero ter feito textos úteis para futuros visitantes – em especial aqueles com pouco tempo – para conhecer essa cidade incrível que é Paris.

Quem quiser mais dicas ou tiver alguma dúvida sobre algum tópico que não ficou bem esclarecido, sintam-se à vontade para entrar em contato. Meu e-mail é lidyanneaquino@gmail.com e estou à disposição para tentar ajudá-los.

Anúncios

4 comentários sobre “Especial Paris, parte 5 – Compras

  1. Lidy, li todos os cinco posts. Foi uma agradável viagem a Paris sem sair de casa!
    Parabéns pelos textos e pelas dicas, foram ótimos!
    Beijos e vê se não esquece de visitar a gente à noite na faculdade :)

  2. Oi, Lidyanne!

    Será que você pode me ajudar com uma coisinha?
    Qual o horário em que as lojas fecham em Paris?
    Parece que na Champs as lojas ficam abertas até mais tarde… confere?

    Um beijo e obrigada!

    • Olá, Annina! As lojas costumam fechar às 19h. Algumas fecham às 21h no final de semana. Na Champs Elysées, boa parte dos locais funcionam até as 22h – mas há exceções, pois há lojas que ficam abertas até meia noite. É melhor dar uma olhada no site das lojas antes, porque varia bem. Caso queira saber sobre algum local específico, pergunte! Olho aqui para você :) Espero ter ajudado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s