Universo sexual violento e idiossincrático

Chuck Palahniuk, autor de Clube da Luta, prova que é possível tirar bom proveito dos filmes pornôs – na literatura. Parece estranho pensar em uma narrativa que não se resuma às obviedades pressupostas pela temática. Porém, em Snuff, o escritor soube desenvolver uma história curiosa e um tanto absurda, característica comum de seus romances.

A personagem central, Cassie Wright, é uma famosa atriz pornô. Ela pretende bater o recorde dos filmes do gênero – gravar um longa praticando o ato sexual com 600 homens diferentes. Para distingui-los, assemelham-se a animais – todos são marcados por um número no braço. Eles são chamados de três em três para as gravações, sem seguir uma ordem específica. Os capítulos são contados pela perspectiva de Sheila, a moça responsável pela organização do “evento”, anunciando os atores para a gravação; e três homens, marcados com os números 72, 137 e 600.

Por intermédio das narrativas de cada um, o leitor conhece não apenas as características próprias das personagens, mas também o papel de Cassie Wright em suas vidas. O foco inicial está nos motivos que levaram a estrela a concordar com o projeto. Mas o enredo se desenvolve melhor e adquire caráter mais instigante quando os números 72, 137 e 600 especulam a respeito de um possível filho que a atriz teve, após iniciar sua carreira como estrela de filmes pornográficos.

A predileção do autor por um enredo cáustico se manifesta imediatamente na escolha do título do livro. A categoria dos snuff films compreende a lenda da existência de filmes onde pessoas, durante o sexo, são torturadas até a morte. A narrativa é mordaz, sem escrúpulos. As personagens escancaram o que lhes vêm à mente, combinando perfeitamente à repugnante descrição do ambiente de gravação.

Para equilibrar os aspectos que deixam a desejar, o humor bem pontuado de Palahniuk permeia Snuff. O autor satiriza os títulos de filmes pornôs, sempre inspirados em longas famosos. Para citar alguns, há Slut on a Hot Tin Roof – uma alusão ao filme Gata em Teto de Zinco Quente e Sex With The City, em referência à série Sex in the City.  

Ainda assim, a genialidade das obras anteriores manteve-se distante. A história não é tão bem arquitetada e em alguns momentos beira a obviedade ao desmistificar os dilemas e questionamentos colocados no início. O escritor mostra o seu diferencial por abordar a temática da indústria de filmes pornôs através de uma visão mais real. Mas parece se perder em meio ao desenvolvimento do enredo, como se tivesse pressa em finalizar a obra.

[Publicado também no site de Cultura Geral da Faculdade Cásper Líbero]

PALAHNIUK, Chuck. Snuff. Editora Rocco, 2010. 208 páginas. Preço sugerido: R$32,00.

Anúncios

Um comentário sobre “Universo sexual violento e idiossincrático

  1. morro de vontade de ler algo dele, e nunca li. um dia, um amigo comentou que teve que dar uma pausa na leitura para não vomitar. TENSO.
    mas interessante… talvez eu comece por esse!
    beijos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s