Pegadas Quase Imperceptíveis

Carlos Drummond de Andrade já dizia no poema: “Tenho apenas duas mãos e o sentimento do mundo”.  E com muito cuidado e beleza, transformou esses sentimentos em uma série de poesias ao longo do tempo. A trajetória do poeta, por sua vez, era repleta de lacunas. Todas proporcionadas pelo próprio Drummond, em uma tentativa não intencional de dificultar o trabalho dos seus futuros biógrafos.

José Maria Cançado topou o desafio, que resultou na obra Os Sapatos de Orfeu. Ao longo das páginas, fica evidente a dificuldade para encontrar informações sobre a vida pessoal do poeta. Mas Cançado encontrou uma boa saída. Além de consultar obras contemplando diários e cartas de Drummond e entrevistar pessoas que conviveram com ele, teve o cuidado de procurar referências nos próprios poemas. Diferente de muitos biógrafos, ele não afirma nada – só aponta evidências nos poemas daquilo que foi manifestado em cartas. E embora seja uma obra não ficcional, a leitura se desenvolve provocando reflexões. A começar pelo título de cada capítulo – sempre com um toque metafórico.

Logo nas páginas iniciais, entre relatos da relação com os familiares e os primeiros amigos, ficam notáveis os incipientes indícios da habilidade do jovem Drummond com as letras. Após os relatos da infância em Itabira, o leitor toma conhecimento da mudança do poeta para o Rio de Janeiro – do trabalho como funcionário público às primeiras ações como militante de esquerda.

O livro mostra uma pessoa discreta a todo momento. Torna-se perceptível também a diferente abordagem do biógrafo. Não que a vida de Drummond fosse repleta de acontecimentos absurdos – mas tudo aquilo que poderia ser detalhado, leva um toque mais sensato em seu relato. Há tentativas de humanizar a “personagem” central, algo obtido sem muito esforço. Afinal, como muitas pessoas, Drummond também tinha problemas com os irmãos, era bastante apegado à única filha, e sim, também era um tanto namorador.

Para as pessoas ligadas ao mundo das letras, é interessante notar a forma como o autor cresceu dentro da poesia brasileira. Assim como sua relação com escritores importantes como Mário de Andrade, Manuel Bandeira e Antônio Cândido. As leituras do poeta também lhe ofereceriam uma ótima base. Para citar um exemplo, Drummond seria o responsável pela tradução de obras de grandes escritores franceses, como Marcel Proust e François Mauriac.

Os Sapatos de Orfeu oferece a oportunidade de conhecer um autor que vivenciou experiências tão instigantes quanto sua obra. José Maria Cançado desenvolve a biografia de tal forma que a vida de Drummond assemelha-se a um romance – deixando a leitura ainda mais cativante. Ideal para aqueles que querem entender melhor a aventura de um grande poeta que escolheu ser gauche na vida.

CANÇADO, José Maria. Os Sapatos de Orfeu. Editora Globo, 2006. 367 páginas. Preço sugerido: R$45,00.

Esta resenha corresponde ao tema de Fevereiro do Desafio Literário 2011.

Anúncios

2 comentários sobre “Pegadas Quase Imperceptíveis

  1. Conheço as poesias, mas pouco do poeta. Ótima dica!
    E obrigada pela visita e comentário no blog!

    beijos e boa leitura para o Desafio de Março! ;)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s